Header Graphic
Catholic World Art
Artist, Ira Thomas
Header Graphic
 

A Anunciação
 
Anterior                                                     Seguinte
 
“Avé cheia de graça, o Senhor é convosco.” Ao se dirigir a Maria, o anjo substituiu o seu nome pelas palavras 'cheia de graça'. A graça é um presente de Deus dado livremente e imerecido. A graça é dada pela virtude; portanto, estar cheio de graça significa estar cheio de virtude; e, como a humildade é uma das virtudes, Maria estava cheia de humildade.
 
A humilde resposta de Maria foi: “Eu sou a serva do Senhor. Que seja feita a vossa vontade. A falsa humildade teria respondido: "Não, Deus, eu não sou digno". A verdadeira humildade disse: "Minha alma magnifica o Senhor".
 
Se Maria não tivesse consentido o plano de Deus, teria Jesus vindo para nos salvar? Teria ele tentado um segundo plano e escolhido outra mulher até encontrar alguém para cooperar com ele? Teria Deus forçado o seu caminho? Em vez disso, ele buscou a humildade e a obediência de uma mulher que contrariou o orgulho e a desobediência de Eva. Maria deu ao Salvador acesso através da humildade que ele lhe deu quando a fez cheia de graça. Foi a humildade que desenhou o Filho de Deus, porque a humildade é o antídoto do orgulho, o primeiro pecado que separou a humanidade de Deus.
 
Maria é a mulher escolhida referida com amor por Jesus (Jo 2: 4, 19:26), a mulher profetizada no Génesis (Génesis 3:15) e a mulher reconhecida em Apocalipse (Ap 12: 1). Ela é a porta do céu, a Mãe de Deus, a nossa mãe espiritual e a rainha do céu e da terra. Deus criou Maria, cheia de todas as virtudes, para ser a Sua obra-prima.
 

Direitos reservados 2002-2021 - Ira Thomas
Traduzido por Helena Domingues